sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Natal!!!

Natal passando com a Jubs é sempre MUITO bom.... passando com irmãos, sobrinhos e pais nem tem o que dizer.
A Jubs ainda acredita no Papai Noel e eu 'peno' para poder responder ás perguntas dela que tem se tornado mais.... digamos... capciosas! Como, por exemplo, como as renas do Papai Noel voam e as outras que vemos no National Geographic não voam... A minha resposta foi que as dele são colocadas motores atrás para que estas voem.... ela aceitou e disse que devia ser isto mesmo e que tinha lógica (lógica?!?!?! rs...).


Bem, jantar quase meia-noite mesmo com duas crianças (Highlanders!!!!! Aguentaram firmes e fortes) e foram para a cama. Eu e meu irmão arrumamos os presentes na árvore para que a Jubs e meu sobrinho mais novo (porque o mais velho, apesar de ganhar seus presentes, não acredita mais em Papai Noel) abrissem na manhã seguinte.
SEI que este Natal marcou a Jubs absurdamente. Tudo para ela era motivo de apreciar e achar bonito ou legal. Era a comida que ela dizia estar "DELICIOSA", dizia á minha cunhada que tudo estava "TÃO LINDO" e ainda queria saber se teria mais alguma novidade... Ela se sentiu num parque de diversões 'curtindo' as coisas que surgiam na sua frente.

Já estava bem tarde, eram quase 22:40 e me perguntei se o bonitão não tinha se lembrado de ligar para a filha (o que não seria nada atípico, afinal ele só faz a ligação mensal e olhe lá). Só que a Jubs nem percebeu, como a presença dele na vida dela é super "de vez em nunca", a ausência dele não é sentida. Mas, finalmente, ele ligou e logo passei o meu celular para ela. A Jubs atendeu numa boa e trocou umas 5 ou 6 frases e me solta a seguinte 'bomba NATALINA':
- Olha só, pai, eu não tenho mais nada para falar com você. Posso desligar...
E me olhou com aquela cara de 'você quer o que, mãe?? quer que eu minta???'. Eu 'enfiei minha violinha na sacola' e fiquei quieta.
A Jubs ainda perguntou se a tia "third wife" estava lá e ele deve ter perguntado se a Jubs queria fala com ela:
- Não pai, não quero falar com ela não. Era só para saber se ela estava aí.
Não posso condenar a Jubs por esta atitude... não é falta de educação dela nem 'forçação de barra' da minha parte. Não peço nem a obrigo á fazer estas coisas mas também não acho correto que uma criança de 6 anos seja forçada á falar com alguém que NUNCA FALA COM ELA. Que elo ela tem com estas pessoas??
Eu acho uma baita demagogia a justiça 'obrigar' que a criança passe parte ou metade do mês com um pai, ou até mãe, que nunca está presente. Ah!!! Ele mora longe!!! Sei... Poxa vida, um telefonema dói?? Ela pede TODA SANTA VEZ Á ELE mas ele não o faz PORQUE NÃO QUER!!!!!!!!!!
Então PORQUE ELE É PAGANTE DA PENSÃO, ele TEM O DIREITO DE FICAR COM ELA POR DIAS E DIAS MESMO QUANDO NÃO HÁ INTIMIDADE?????
Assim que a Jubs desligou o celular, ela me perguntou:
- Mãe, eu vou quando ficar com o meu pai?
- Daqui uns 15 ou 20 dias. Por que?
- E vou ficar quanto tempo? 1 mês??????
- Não. Você vai ficar uns 15 dias só.
- E você acha 15 dias pouco??
Claro que acho 15 dias MUITO mas não disse nada disto á ela. Só que entre 1 mês e 15 dias, acho que os 15 são mais fáceis de serem 'digeridos' por qualquer uma de nós duas.
Não 'bato na tecla' lembrando de quantos dias ela passará ou quando ela irá, só em raras vezes que ela me pergunta que eu respondo, senão desvio a conversa e deixo para lá...
Bem.... o que realmente eu posso fazer? Absolutamente nada. A Justiça diz que a Jubs deve ir (querendo ou não) e eu acho que ir contra a Justiça é 'arrumar sarna para se coçar', porque se não seguir direitinho com as minhas 'obrigações', o bonitão irá usar isto como 'arma' contra mim. Não facilito quanto á nada que englobe a Jubs.
O bom disto é que logo após ela desligar o celular, ela ficou com os primos e padrinhos, brincou, riu, viu TV... nem lembrou da conversa com o pai ou comigo sobre a ida dela para a casa do pai.
Já eu... bem.... não estou me 'torturando' tão antes dela ir... Ela não merece isto e NEM EU MEREÇO.
Vou deixar para ficar 'sem respirar', congelar no tempo, ficar sem sol, triste... quando ela ficar com o pai. E reviver quando ela voltar... e PENSAMENTO FIRME  de que tudo irá passar rápido.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Já sei o quero ser quando crescer!

As novas da Jubs acabam comigo... rs...
Ela estava conversando comigo na semana passada enquanto eu dirigia e ela me fala:
- Mãe, já sei o que quero ser quanto crescer!
- É?? E o que você quer ser?
- MILIONÁRIA!

- Por que???
- Para poder comprar tudo que eu quiser na hora que eu quiser!
Eu comecei rindo do jeito dela e ela ficou zangada.... preferi parar de rir porque vi que era séria a vontade de ser MILIONÁRIA.
Tentei conversar sobre o tema e explicar que ser RICO não é a solução dos problemas e que, ás vezes, é um problema bem maior. Expliquei que quem tem muito dinheiro acaba tendo medo de ser assaltado ou sequestrado. Ela pensou e apavorou pensando que alguém poderia me levar dela.
Aí falou:
- Mãe, tem como ter mais dinheiro sem ser MILIONÁRIA? Porque podia ter mais dinheiro, né?? só que sem ser MUITO MAIS.
Adoro esta maneira dela pensar!
A outra dela é a ENTOMOFOBIA que ela tem. Este 'palavrão' não é nada mais que MEDO DE INSETOS.
Eu não tenho medo não... Quando eu era pequena, pegava as baratas pelas antenas e ficava vendo se eram fêmeas ou machos. Se aparecer barata eu mato, aranha ou o que for... Já a Jubs se vê um inseto, ela sai gritando.
Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem... estava eu dirigindo no transito maluco daqui, numa tarde de calor PUNK, com a minha mãe e a Jubs no carro. Quando de repente a Jubs BERRA:
- Não!!!! Uma BARATA na minha perna!!!

Confesso que apesar de não ter problema algum em matar uma barata, eu não ia gostar nem um pouco de ter uma na perna. E ainda pensei: Meu carro não está sujo para chegar ao ponto de ter baratas dentro. Não tinha como...
Minha mãe tem tanto, ou mais, medo que a Jubs e começou a 'pisotear' o chão do carro e quase dançando como o Fred Astaire. E tome de gritaria no carro, eu na ladeira, carro para tudo que era lado, um calor absurdo e a gritaria. Fico imaginando as pessoas que passavam ao lado do meu carro, vendo aquela cena e pensando no que podia estar acontecendo lá dentro.
Eu olhava para o tapete do chão e necas de barata.
Quando o carro andou de novo a Jubs começou choramingando:
- Ai ai ai... Ela tá voltando... Me tira daqui!!!! Eu quero sair daqui!!!
Sair como??? E para onde???? Me senti num manicômio.
E olhei de novo para o chão... e necas!!!
Minha mãe continuava com a 'SESSÃO DA TARDE' com o SAPATEADO DELA no assoalho do carro. Eu comecei ficando nervosa por causa do pandemônio.
E a Jubs chorando...
Quando ela gritou de novo eu olhei rápido para o chão e vi!!!!!!!!!!!!!!
Vi!!!! Vi um raio de um besourinho daqueles que estalam quando você os pega.
Peguei o coitado e abri a janela para pô-lo para fora... só que estava tão transtornada com o escândalo da Jubs e da minha mãe que fechei o vidro da janela com meu braço pra fora ainda....
Queria esganar as duas! Que escândalo por causa de um bichinho!!!
Quanto á matar baratas, o BONITÃO tinha medo, quem matava estes insetos em casa era eu mesma. Ou seja: nada mudou!!! rs... Mas a Jubs ter medo e fazer escândalo... acaba comigo!!!
Até uma mera mariposa ela se joga na cama e diz:
- Que linda!!! Tira ela daqui??

Bem... nem tudo tem como ser perfeito! rs...
Se bem que quando salvei a gambá no mês passado, ela curtiu e ainda queria ter ficado com esta como animal de estimação.
Menos mal... pelo menos o medo que o BONITÃO tem de bichos não foi totalmente transmitido via atavismo á Jubs...




domingo, 24 de novembro de 2013

Algumas coisas que ouvimos

Engraçado como ás vezes passamos a nossa vida inteira ouvindo certas frases que nunca surtem efeito mas um momento, alguém fala AQUELA MESMA FRASE e ela parece ser algo novo que BATE CERTINHO com o que você está vivendo e a sensação que se tem é como se você tivesse tomado uma 'tijolada' na cabeça. Sabe quando no desenho animado (óóóóóbvio que digo dos antigos, mais arcaicos) o bonequinho toma uma pancada na cabeça e depois acende uma luz? Exatamente isto!

Minha mãe SEMPRE ME DISSE que eu tinha que pensar no que ia fazer antes de fazer porque tudo que faço reflete na Jubs. Ou seja: NÃO DÊ UM PASSO SEM PENSAR PORQUE AMANHÃ A SUA FILHA IRÁ REPETI-LO.
Eu dou então passos de 'formiga' para que se eu errar eu consigo 'voltar' fácil de onde eu saí e fazer outro caminho. O problema é o tempo que eu levo para fazer qualquer coisa. Qualquer mudança levo tempo demais para fazer qualquer coisa e o medo que sinto em fazer?!?!?
A frase da minha mãe martela a minha cabeça e eu amedronto e fico travada no lugar, dando passos de 'formiga'...
Estava conversando com a minha avó na semana passada, ela está beeeeeeeeeem velhinha, 92 anos. Infelizmente passou por uma cirurgia e a cabecinha dela ficou meio... abalada... Mas ainda assim ela tem momentos fantásticos de lucidez extrema. Num destes momentos ela virou para mim e disse algo que eu já havia ouvido TROCENTAS VEZES, só que DESTA VEZ CAUSOU um efeito positivo.
Minha velhotinha me falou sobre não desistir dos meus sonhos e eu rebati que não tinha mais nenhum além da Jubs. Foi aí que veio a 'TIJOLADA':
- É este o exemplo que você quer dar para sua filha? Ter um sonho é o bastante? Dar passos de formiga é seguro então melhor você quase não andar. No fim você ouvirá dela que entre andar pouco e ficar parada, ela vai preferir ficar parada, tomando sol e o mundo todo que se exploda. Você está dando este exemplo e infelizmente você não está vendo o que está fazendo.
- Mas vó... Eu luto, faço um monte de coisas... Não desisto...
- Eu sei! Acontece que você precisa mostrar isto á ela. Vá fazer uma academia como você fazia antes. Volte á estudar... Procure algo e mostre para a sua filha a luta que você trava para conseguir aquilo.
A conversa continuou mas aquilo que ela havia dito entrou na minha cabeça. Talvez naquele momento eu estivesse mais disposta á ouvir e assimilar que das outras vezes que este assunto veio á tona... realmente não sei. Sei que algo fez uma 'click' na minha cabeça naquele momento.
Eu sempre me sinto uma 'LEOA' cuidando da Jubs... Então preciso mostrar á Jubs que 'se caça', como sair e voltar com a 'vitória' de ter conseguido o que se quer. Mostrar como 'RUGIR', 'MARCAR TERRITÓRIO', até mesmo 'BRIGAR' pelo seu espaço... Eu já fiz isto várias vezes mas não com ela de espectadora vendo 'como é que se faz'...
 Então agora é 'ao vivo', sem ensaios e com a frase da mamãe: 'SEM FAZER ALGO ERRADO PORQUE AMANHÃ SUA FILHA PODERÁ REPETIR O SEU ERRO.'
Vou continuar como sempre faço: PRESTANDO ATENÇÃO 'ONDE PISO' PORQUE SEI QUE MEUS PASSOS SÃO SEGUIDOS POR PÉS MENORES.
A Jubs presta atenção em tudo que digo ou faço. Noutro dia ela estava mexendo no micro e eu disse que queria usa-lo. Ela me perguntou:
- Quer que eu ponha no 'mãe separada'?
Eu quase caí para trás, nem havia 'me tocado' que ela poderia ler ou que já devia ter lido algo. Sei lá... Acho que pensei que ela era ainda o meu ser 'portátil' e que eu tudo via e sabia. Me senti 'A BOBA'... e por outro lado insegura me perguntando o que ela poderia ter lido.
Ela na verdade não leu mas sabia da existência. 
Ela se interessa em saber o que eu gosto e o que eu faço, então eu tenho que fazer coisas certas e boas para ela.
Ou seja: ME MATRICULEI NA ACADEMIA (Que Deus me ajude!!! porque eu não gosto de academia) e vou voltar á estudar para concursos.
Eu TENHO A OBRIGAÇÃO de fazer meus passos bem marcados no chão, como escrevi acima: ESTES VÃO SER SEGUIDOS POR PÉS MENORES. Então tenho que ABRIR CAMINHO, ULTRAPASSAR OBSTÁCULOS E SE EU SENTIR MEDO, CONTINUAR MESMO ASSIM, PORQUE O MEDO NOS FAZ BEM, NOS DEIXA ALERTA. E continuar cuidando da minha pequena porque amanhã ela será grande... e fará os seus próprios passos no caminho.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Confiar em si

É engraçado ler ou ouvir que TEMOS QUE CONFIAR EM NÓS MESMAS... Isto é algo óbvio! Se não confiarmos em nós mesmos, não iremos transmitir confiança para que ALGUÉM (seja lá quer for) confie em nós. E vira um 'bola de neve' cujo tamanho fica absurdo com o tempo que passa...
Ótimo!!! Apresentações feitas!!Sabemos onde temos que começar tudo: CONFIANDO EM NÓS MESMAS!!!! Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaas.... alguém lá atrás nos quebrou... como confiar num carro que capotou e foi 'recauchutado'??? Você nunca mais olha para 'aquele carro' com CONFIANÇA. Na verdade, o que ocorre está mais próximo de ter um quase pavor em dirigir aquele carro de novo.
Infelizmente o que nos faz perder a confiança em nós mesmas é determinado pelo que nos 'abate'. Claro que temos dias e DIAS! Tem aquele dia que nada aconteceu e se acorda com a 'nuvenzinha cinza' na testa e a sensação de que TUDO IRÁ DAR ERRADO é enorme que no fim, vai dar tudo errado mesmo porque você entra com o pé esquerdo, o direito e ainda, de marcha ré!!!!

Não há como prever que dia você irá ter otimismo, bom humor... até porque somos 'regidas' pela TPM (eu brinco que pela TPM: Tensão Pré-Menstrual, TDM: Tensão Durante a Menstruação e TPósM: obviamente Tensão Pós Menstruação) que no fim das contas passamos o mês quase inteiro tensas!!


E claro que não podíamos tirar o motivo óbvio de tensão: O EX-MARIDO
Acontece que a grande coisa está em ver que a culpa não é da nossa ovulação nem do ex-marido, nem da atual mulher, nem da ex-sogra, nem do motorista de ônibus que deu uma fechada no trânsito, ou do passarinho que fez cocô na sua cabeça e sim SUA!
O que nos incomoda existe e SEMPRE IRÁ existir, o 'lance' é você saber olhar para a situação e dar importância ao fato ou não. Tudo tem o tamanho de acordo com o que você absorve e externa do fato. Então... ficar tensa é culpa nossa? SIM!!!! É CULPA NOSSA!!! E deixar de ficar tensa, está na nossa mão?? SIM!!! TAMBÉM ESTÁ!! Então caramba!!! porque nenhum psicólogo ou psiquiatra nunca nos ensinou isto? SEI LÁ! Pode ser que assim acabemos tirando o ganha-pão deles.
Estou batendo na 'tecla' TENSÃO porque somos tensas por natureza. Vivemos olhando o relógio e querendo fazer 2, 3 ou 4 coisas ao mesmo tempo. E os homens?? Bem... eles fazem UMA de cada vez... Poxa... Porque eles não fazem as trocentas como nós? Ué! Para que eles vão fazer se eles nos tem fazendo por eles!!! Nem damos a chance deles sentirem na pele como seria se não fizéssemos.
Então: DIVIDIR TAREFAS (digo isto conosco mesmo), PRIORIZAR E VER O QUE PODE FAZER E O QUE NÃO PUDER... FAZER QUANDO PUDER. Não perder o SONO POR ISTO.
Estou escrevendo para ver se eu aprendo... Vivo tentando agarrar o mundo com os pés e acabo sendo 'atropelada' por ele... 

Vou comentar cada item:
1. Aprender á falar NÃO: Isto estou aprendendo na base da bordoada, querendo ou não mas TENHO que aprender. No fim se você sempre diz SIM você não faz o que precisa porque sempre faz pelos outros e estes nunca fazem por você (com raras exceções);
2. Impor limites ás pessoas: Outra coisa que aprendo com os dias que se passam. É complicado você ser conciliadora, mãe, irmã, filha, neta e motorista, cozinheira, professora, faxineira, pedagoga... e impor limites, afinal você é poli-valente e como assim você não pode fazer só isto pelo fulano ou aquilo para o sicrano??;
3. Valorizar as suas qualidades: Beeeeeeeeeeeeeeeeem... Isto eu não sou muito boa em fazer não, como já escrevi antes e hoje também, me cobro horrores e por isto acabo me pondo como menos do que deveria ser... Um dia, talvez, eu aprenda...;
4. Evitar relacionamentos destrutivos: Putz!! Isto eu já aprendi... Bem... eu 'aterrorizei', né? Não quero relacionamento de nenhum tipo, nem do que destrói nem do que constrói... Vai que constrói hoje e amanhã sai implodindo??;
5. Ter pensamentos positivos: Huuuuuum... Beeeeeeem... outra coisa que oscila... Nem sempre consigo sem positiva, as vezes o LADO NEGRO DA FORÇA VENCE!;

6. Criar projetos para o futuro: Eu crio sim! Para a Jubs e onde eu participo mas para mim?? Ah fala sério!!! Já fiz e desfiz o que tinha que fazer. Para mim eu não quero nada além de que não surjam mais problemas;
7. Ter um HOBBY: Complicado.... Ter um HOBBY? Eu já tive coisas como leitura, fazer exercícios e etc... mas hoje me 'saboto' e não tenho nenhum não;
8. Cultivar as amizades: Isto eu faço e MUITO! A vida já nos 'ceifa' as pessoas, as que 'ficam' devemos cuidar para que permaneçam. Mesmo que sejam poucos os seus amigos, que sejam da sua família, o que for!!! Faça de tudo para mante-los;
9. Fazer planos e SONHAR: Uma coisa bem difícil para mim... quase impossível: SONHAR!!!! Eu sonho com coisas próximas, plausíveis, coisas tolas mesmo. Nada de ir para a Disney porque sei que dependo do bonitão para isto e ele não irá deixar a Jubs ir de JEITO NENHUUUUUUUM!! Mesmo que isto seja só por maldade dele.  Então sonhar com que?? Com príncipe encantado? Na boa!!! SÓ SE EU ESTIVESSE MALUCA!!! Nem ouso sair com alguém por medo do que o bonitão poderá usar contra mim, quanto mais sonhar com isto. Acho que desaprendi de sonhar...
Como sonhar com um Brad Pitt da vida sem pensar: Huuuuuuuum... Ele deve ser assim ou assado e tal... Sei que vou arrumar defeitos... rs...;
10. Cuidar de si mesmo: Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem, eu cuido o básico! Assumo, sou relapsa comigo mesma mas não com a Jubs. Não tenho paciência de cuidar de mim. Cuido  das raízes do cabelo que aparecem, da depilação e de outras coisas mas da saúde, assumo que me deixo de lado na grande maioria das vezes;
11. Não deixar que as críticas alheias lhe derrubem: Isto eu tenho conseguido fazer, claro que alguns escorregões mas tenho me mantido em pé;
12. Aprender com os erros: ISTO FAÇO TODOS OS DIAS E TODO O TEMPO.
Por isto digo para mim mesma: ESTOU TENSA O TEMPO TODO. Meu medo de ERRAR toma conta do meu cérebro e me 'policio' direto por medo de pisar na bola e ser cobrada por isto. E eu nem estou em nenhuma das fases da menstruação... Eu VIVO TENSA!!! Me cobro 2 mil vezes mais do que deveria e não sei virar o botãozinho para o OFF. Durmo aos tropeções... Caramba... isto é justo?? é justo que o mundo me cobre e que eu seja maluca e me cobre tanto ou mais que ele?
Espero que alguém consiga 'descobrir o caminho das pedras' e me MOSTRAR ONDE ELE FICA...





terça-feira, 5 de novembro de 2013

Alienação Parental

Eu tenho lido muito sobre alienação parental e já fui até acusada pelo bonitão que eu fazia com ele...
O que eu quero saber é como provar que quem faz a ALIENAÇÃO é ELE sem magoar a minha filha.
A Jubs já disse VÁRIAS VEZES que o pai fala mal de mim para ela e mesmo assim eu ainda tento contornar não falando mal dele, por mais vontade que eu sinta e ainda dizendo á Jubs que o pai fez isto porque não sabia direito o que estava falando. Penso no que ela irá guardar do que eu falarei.... Sempre penso no que isto poderá acarretar á ela para a vida. Prefiro que ela veja quem é o pai dela realmente quando estiver mais velha e mais madura, veja somente que ele tem lá os defeitos dele e que mesmo ele ausente na vida dela, ainda assim, ela viveu vários bons momentos, ou seja: A AUSÊNCIA DELE NÃO ACARRETOU EM NADA (nem problemas nem vantagens).
A Jubs sempre demonstra PAVOR em saber que irá viajar com o pai. Ela diz que 1 ou 2 dias com ele, para ela, bastam. Que ela fica muito triste longe de casa e onde ela não conhece ninguém e ela já disse inclusive estando com o pai que ela quase não o conhece e ele á ela, idem.

Eu tento amenizar as coisas dizendo que ela irá voltar para casa depois e que terá viajado conhecido parentes e lugares diferentes... TENHO QUE FAZER ALGO PARA DIMINUIR A TRISTEZA E DESAMPARO que ela sente. O que pouco adianta, com os 6 anos que já tem, ela argumenta que ela pede ao pai para leva-la de volta para a casa dela e tem como resposta dele que ela TEM QUE FICAR COM ELE QUERENDO OU NÃO.
Isto é de uma maldade absurda com a minha pequena. Mas o que eu posso fazer? Nunca entrei com processo algum contra ele, sempre quem toma e tomou a iniciativa foi o bonitão. Eu só provei na justiça o que ele dizia ser ele a vitima que não era verdade, mostrando ser a Jubs a vítima e eu vítima de mentiras dele.
A justiça do Brasil é EXTREMAMENTE MOROSA e com novas leis todos os dias, os advogados procurando sempre uma brechinha para poderem deixar o processo mais longo e com a decisão só lá na frente.
Como eu escrevi no "LOUCURA TOTAL", o bonitão pediu a guarda da filha por ele MORRER DE SAUDADES DELA  e que eu A AFASTAVA DELE. Engraçado isto não é? porque ele continua ligando para ela uma vez á cada 20 dias. Nunca vi sentir saudades assim.
Bem... voltando á ALIENAÇÃO PARENTAL que fui acusada por ele... Eu resolvi mostrar á Jubs, num final de semana, uns filminhos que tenho da época que ela havia nascido e os meses que vieram depois. Onde o pai brinca com ela, a pega no colo, faz carinho... Ela correu e abraçou minha mãe e cochichou algo no seu ouvido. Minha mãe, triste, disse que ela estava enganada. Perguntei o que era e a Jubs me disse:
- Mãe, ele gosta mais da máquina que de mim.
Pedi que ela se explicasse melhor apesar de tê-la entendido, ou achar que que havia entendido.
- Mãe, ele só é assim, como nos filmes, quando a máquina fotográfica está ligada.
Eu fiquei sem saber o que dizer porque o que ela estava dizendo era a verdade.
Nos filmes ele aparece como o PAI PRESENTE e CARINHOSO. Quem o vê me chama de doida varrida e até e mesma cheguei á me perguntar como eu falava que, aquele homem que abraçava a nossa filha e brincava com ela, era ausente, não se preocupava com ela e etc...???
Foi quando o que a Jubs falou fez um 'click' na minha cabeça!! "ELE GOSTA MAIS DA MÁQUINA QUE DE MIM"... Caramba!!! É a melhor tradução do que ele faz. Quando há espectadores ou alguém gravando algo, ele é o pai dedicado e amoroso. Assim que a platéia vai embora ou desligam a máquina fotográfica, ele "desliga" também a sua atuação.
Soa maluquice não..?
Mas tirei do baú da memória ele voltando do trabalho, eu o cumprimentava e mostrava a nossa filha á ele... ele logo passava por ela dando um beijo bem de leve e rápido para poder ver o episódio do seriado que ele havia deixado baixando durante o dia. A Jubs fazia um barulhinho durante o episódio, ele pausava o filme e me pedia que saísse do quarto com ela porque estava o incomodando. Lá ia eu com a Jubs para a sala onde estava super abafado pois o ar condicionado era no quarto onde o bonitão havia ficado. Acabava o filme e eu esperava que, DESTA VEZ, ele fizesse algum carinho na filha, ele dizia que ia tomar banho e comer e que SÓ DEPOIS DO JORNAL NACIONAL ele iria pegar a Jubs e que no final ele realmente a pegava, por uns 10 minutos (e olhe lá!!!). Ou seja: sem platéia ou máquina fotográfica registrando, ele não queria "ser PAI"
Soa maluco até lendo mas é a pura verdade.
Contar isto á Jubs é de uma maldade absurda e por isto nunca o fiz... Mas ela sozinha está vendo quem é o pai dela. O homem que se preocupa mais com o que os outros pensam e vêem do que com a própria filha.
Dói escrever isto, sabe? Mas acredito que doa mais na Jubs por passar por isto na pele. E a sensação de IMPOTÊNCIA que sinto me DÓI profundamente...
Acho que é por isto que procuro ser extremamente presente para a minha filha.
Já ouvi gente me falando que não adianta fazer o dobro porque eu não conseguirei 'apagar' o nada que o pai deixou de fazer pela Jubs e eu sei disto. Mas fui criada vendo minha mãe fazer o que podia e o que não podia pelos filhos, vi a minha avó fazendo pelos netos... meu EXEMPLO É ESTE! Não quero ser diferente. Gosto de ser MÃE.

É um emprego passageiro? Sim, talvez seja... mas e daí? Quer dizer que porque ele tem 'prazo de validade' eu devo me envolver menos para doer menos quando acabar "meu tempo de serviço"?
Não faço nada pela metade, só por inteiro.
E mais que isto: A JUBS MERECE!
Quero ser para ela o que minha mãe representa para mim até hoje e o que a minha avó, mesmo super velhinha, ainda consegue ser: UM PORTO SEGURO. Se eu conseguir fazer isto, não há alienação parental que a faça se sentir sozinha.


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Peso da Idade...

Ás vezes me sinto um 'FUSCA' ou uma 'KOMBI'...

E não é pelo "desing lindo" e sim pela TECNOLOGIA EXTREMAMENTE ULTRAPASSADA.
É inacreditável como aquele serzinho que ainda te pede colo, que te pede para contar estórias antes de dormir, que diz que não consegue tomar banho sozinha direito.... cheia de coisinhas de criança (óbvio!!! ela só tem 6 anos!!!) SÓ que este mesmo ser responde como um ser BEM MAIOR E EXTREMAMENTE SÁBIO!!! rs...
Ela 'apela' para a sapiência que eu sei lá de onde vem (vai ver que de encarnações passadas) e responde que uma beleza!!!!
E com ela não tem esta de 'enrolar', não!
Como eu sou só eu e o pai, necas... O bonitão deve estar por aí viajando, nem que seja dentro da própria casa... afinal ele nunca liga e quando liga a paciência da Jubs se acaba em menos de 5 minutos porque ela logo arruma um motivo para desligar. Sou eu sozinha que tenho que responder as perguntas bizarras que ela faz.
Noutro dia ela me falou de um professor da escola dela. Eu o vi rapidinho mas vi que ele era gay e nada falei. Deixo que ela tenha as dúvidas dela e me pergunte o que achar que deve perguntar.
Bem, ela veio me perguntar se eu havia visto o tal professor e eu disse que sim. E ela disse: Mãe, você viu que ele é...??- e fez um gesto com a mão. Eu disse que não entendia nada do que ela queria dizer e ele repetiu o gesto. Só que eu queria ver o que ela entendia do que ela queria dizer porque eu sabia que aqui em casa ela não tinha 'aprendido' algo assim. E ela tentou me explicar:
- Mãe!!!! É que ele é assim.... com a mão meio de lado, sabe???
Acredito que tenha ela ouvido isto de algum coleguinha da escola e este disse á minha filha via gestos... e ela nada entendeu. O que achei muito bom, tenho amigos, e conhecidos gays, ela gosta deles e não só vê como seres diferentes. Não quero que isto aconteça agora...
Mas a cara que ela me olhou quando eu 'dei uma de Mané' sem entender o gesto dela... ela me olhou como uma professora dos anos 60 olhava aquele aluno meio lerdinho...
Fico boba como o tempo passa rápido e ela acha que tem autonomia para várias coisas...
Ela quer  saber o que eu sei e mais ainda para mostrar e para me ensinar, como faço com ela. Eu também já passei por isto só que com MUITO mais idade que ela. Ela quer ser.... auto-suficiente e poder me ajudar. Acho isto fantástico mas ao mesmo tempo assusta porque ela SÓ TEM 6 ANOS. Ela impõe muita responsabilidade á ela e o engraçado é que eu não faço isto com ela. Talvez ela se espelhe no que eu faço comigo mesma e queira repetir....
Tá... mas como modifico isto? Porque eu não posso deixar de ser assim por 'senão a casa cai'... Não sei não estar no 'alerta' até na hora que eu durmo.
A Jubs teve refluxo desde os 4 meses, ou até menos, e desde então eu vivo com 'alarme' ligado. É ela se mexer diferente ou fazer um barulho novo que eu já estou ligada. Não é á toa que estou tendo que usar aparelho de bruxismo.
Hoje de manhã, quando a fui levar á escola, ela me solta outra:
- Mãe, você vai com este mesmo agasalho para me levar?
- Vou, oras! Por que?
- Porque você foi com ele ontem e noutro dia... Poxa, mãe... Se arruma mais um pouquinho... Porque você gosta tanto deste agasalho?
- Porque ele é quentinho. E você também vai com a mesma roupa todo dia. (óbvio que troco a roupa dela, né? mas a estampa é sempre a mesma!! rs)
- Mas eu uso uniforme, você precisa se arrumar mais!
Caracas!!!! Com 6 anos eu ia prestar atenção nisto??
Infelizmente a infância cada vez dura menos... Eu brinquei com bonecas até meus 12 anos e falei disto com a Jubs. Ela me olhou como se eu fosse um "ET" e me disse:
- Mãe, você fez isto??
- Fiz! E elas eram minhas amigas, brincávamos muito e etc...
- Mãe!!! Me poupe!!! Você não sabia que elas são um brinquedo?? Elas não falam nem fazem nada!!! Que idéia!
Fiquei com cara de tola, né?
Mas sabe onde tem a GLÓRIA toda? É que ela com quase 7 anos ainda crê no Papai Noel.
Algo ainda tem de do pó de pirlimpimpim na minha pequena Tinkerbell...

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Dia das Crianças e do BOLSO dos PAIS

Passei o Dia das Crianças 'peregrinando' num shopping MUITO BOM, que estava CHEIO DE OPÇÕES para as crianças. Sendo que estas vinham com cupons para retirar BRINDES e quando eu fazia isto, nunca saia 'ilesa' da loja, sempre acabava comprando algo.
Mas tudo bem, a Jubs merece!
Dei á ela uma destas bonecas tipo "Barbie" mas são as 'famosinhas' atuais, minha mãe deu outra e meus avós outra. Então foram 3 da mesma coleção (caramba!!! que bonecas caras!!!) mais as compras pós retirada dos brindes e mais um par de bonecas que eu havia comprado há uns 3 anos, que falam entre sim, brincam e tal, que USAM 12 PILHAS AA mas que eu tinha guardado para quando a Jubs brincasse sem destrui-las, espero que seja agora.
Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem... o shopping LOTADO!!! Cheio de pais com carrinhos de bebês (não entendo o motivo visto serem bebês e não entenderem que raios este dia representa, que no fim das contas representa algo comercial somente nos dias de hoje). Nos carrinhos tinham crianças aos GRITOS, não era chorando meramente, estavam GUINCHANDO mesmo e suas mães desesperadas e sem graça, empurrando os carrinhos e os sacudindo para ver se estes paravam de gritar.
Minha mãe ficou abismada e me disse que achava que as crianças estavam tensas pela movimentação do lugar ou então pela própria tensão dos pais. E eu respondi que não era este o motivo. O REAL MOTIVO era que a grande maioria das crianças que ali estavam, passavam a semana INTEIRA numa creche, com 'tias' que elas conhecem há algum tempo e que seus pais passavam a semana TRABALHANDO, que levavam os filhos para creche de manhã e os buscavam de tarde para de noite. Que estes 'filhos' dos pais trabalhadores conheciam mais as 'tias' da creche que aos próprios pais e que na hora do 'aperto', o colo que elas querem é o que elas conhecem como seguro e que elas ficam durante a semana inteira: O DAS TIAS!! E não o dos PAIS TRABALHADORES mas que seus filhos não conhecem e que não os acalmam.

Sei que tem muitas mães QUE PRECISAM TRABALHAR PORQUE NÃO HÁ OUTRA FORMA PARA SE SUSTENTAR e sei também que estas mesmas mães que trabalham porque realmente precisam durante a semana inteira ainda dão um jeito de serem MÃES DE SEUS FILHOS quando estão com eles. Mas muitas das que trabalham dizem (porque eu mesma já ouvi mais de uma vez): EU PRECISO TER A MINHA AUTONOMIA, SE MEU MARIDO (COMPANHEIRO) TRABALHA E SAI, EU TAMBÉM MEREÇO FAZER POR MIM.
E deixa o filho na creche e vai atrás da sua autonomia.
Não é que eu queira 'levantar uma bandeira' e dizer que as mulheres não devem trabalhar para serem mães e tal. Óbvio que não!!! Mas estou dizendo que elas vão colher os frutos que plantam. Se forem egoístas e egocêntricas com seus filhos, estes também serão.
Eu abri mão de um monte de coisas para mim, para poder focar na Jubs... fiz isto por achar e sentir ser o 'CORRETO'. Fui criada assim e acho que foi certo e procuro fazer o mesmo por minha filha. Ser presente e cuidar dela a maior parte do tempo. Tenho amigas que me crucificaram por isto, outras que riram me chamando de RETRÓGRADA. Tenho conhecidas que usam a 'desculpa' de trabalhar para dizerem que precisam do dinheiro sem realmente precisarem dele porque poderiam viver um pouco mais apertadas e cuidarem de seus filhos.
Eu não as condeno, elas estão atrás da tal AUTONOMIA mas lá na frente, seus filhos vão ser filhos da CRECHE. Porque mesmo o tempo que elas podiam se dedicar á eles, elas vão á noite das mulheres no barzinho, á academia, á yoga e etc... e quando chegam em casa?? Os filhos estão dormindo para amanhã começarem a mesma rotina.
Os pais... BEM, estes contam com o machismo e o achismo para serem pais. Poucos que eu conheço que não se incomodam em trocar uma fralda, dar banho, por para dormir... POUQUISSÍMOS!!!
Aí fica a pergunta: ENTÃO PORQUE RAIOS TIVERAM FILHOS? Para fazerem o 'correto' na sociedade? Porque seus amigos também tem filhos???
Poxa, parecem ser pais de chocadeira...
REPITO: Não estou dizendo que a CERTA SOU EU!!!! E sim que muita gente podia e DEVIA mudar um pouco pelos seus filhos. Pelo menos, até onde eu entendo você trabalha para melhorar de vida não por você e sim pelo que você pretende deixar pelo seu caminho e isto seria: SUA PROLE.
Meu casamento mesmo foi 'condenado' ao fim por esta minha maneira de pensar. O bonitão queria ter posto a Jubs na creche com 4 meses e eu me indignei. Disse que pelo menos até 1 ano e meio ou 2 anos, ela não iria para creche alguma. Eu não dependia financeiramente dele e ainda podia me dar ao luxo de dar á Jubs as coisas do meu bolso. Como??? Trabalhando com vendas, fazendo um horário que desse. Deixando a Jubs com a minha família e saindo 'num pé e voltando no outro'. Porque o bonitão dava de grana no mês o certinho para comprar: o leite em pó, os remédios de refluxo, fraldas e Hipoglós. ONLY THIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O resto eu quem dava meu jeito.
Seria mais fácil por na CRECHE? Óbvio!! Claro que seria... mas... eu prefiro cuidar e ser mãe da Jubs mesmo não tendo tanta AUTONOMIA. Não podendo gastar mundos e fundos em algo. Ter a grana contada... mas ter a Jubs presente e ser presente para ela.
É o que eu acho que seja o certo.




quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Solução dos meus problemas...

Acredito ter achado hoje uma solução para VÁRIOS problemas meus.
A MESADA!!!!!! Mas esta mesada não será dada de forma simples, não...
Achei algo no FACEBOOK que é muito interessante e educativo para nós pais.
Eu canso de brigar com a Jubs para que ela acorde para ir para escola, para que ela não deixe suas coisas jogadas pela casa, para que tire o prato da mesa e leve até a pia e outras coisas que acho que muitas mães passam pelo mesmo pepino.
Quando eu vi esta foto no FACE acho que acendeu uma luz na minha cabeça, como nos desenhos animados. Se bobear ouvi um coro de anjos cantando  "Aleluia"...


Eu vi que algumas coisas eu não preciso usar mas outras são perfeitamente cabíveis.
Ou seja: a Jubs vai ter um trabalho para ganhar o dinheiro dela.
Claro que não quero um C3PO como filha (para quem não lembra é o robô do Star Wars, o dourado que é educadíssimo) mas quero um ser que eu possa conduzir sem ter que ficar estressada todo dia.
Achei a idéia da mesada com os descontos uma coisa perfeita para mim. Vou fazer a minha tabela e ver no que dá.
A Jubs vive reclamando que eu só dou dinheiro para ela em moedas e nunca em notas. Uma vez ela se cansou disto e pegou na minha carteira quase R$300,00 que eu havia sacado para fazer um pagamento. Quando cheguei no banco, abri a bolsa e cadê que o dinheiro estava na carteira??? Eu comecei á passar mal pensando que poderia ter perdido em algum lugar ou esquecido no caixa eletrônico, sei lá!!! A Jubs que estava ao meu lado me pergunta: - O que foi mamãe?
                                            - A mamãe perdeu o dinheiro dela e está maluca vendo na bolsa se ele está aqui.
                                           - Um dinheiro que estava na sua carteira??
                                           - É ele mesmo, porque?
                                           - Ah porque eu peguei para mim. Tinha te dito que queria dinheiro em nota e achei estas notas bonitinhas, então peguei para mim.
 Eu fiquei sem ação, não sabia se brigava com ela, se dizia que era errado fazer isto ou se pulava de alegria porque não havia perdido o dinheiro.
                                            - O dinheiro tá aqui no meu bolso, guardadinho.
Putz.... aí que eu quase morro mesmo, o bolso pequeno de um ser de 6 anos?? Bem... ele estava lá e não havia caído.
Desde então a Jubs nutre um AMOR por dinheiro em notas. Aí que entra a mesada!  Vai ser perfeito. E ela poderá comprar o que ela quiser (beeeeeeeeeeeeeeeeeeeem, mais ou menos... nada de trocentas mil bonecas porque de Barbies ela tem 30).
Vou deixar a folha presa em algum lugar que ela veja e leia o que pode e o que não pode fazer... assim ela fica com dinheiro de nota e eu com minha filha mais educada.
Repito: não quero o C3PO, só quero uma filha que feche menos a cara para visitas, ou então que cumprimente as pessoas e se despeça de forma normal sem ficar engonhada... que leve o prato para pia...
Se der certo, eu aviso á vocês.

Que a força esteja com você! (amo Star Wars e já deu para reparar, né? rs)

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Sem se lamentar, sem se arrepender...

Fácil fácil de falar e escrever mas fazer?? São "outros 500"...
Tenho o meu esquema matinal: Acordo, acordo a Jubs, levanto, ligo o micro faço tudo que tenho para fazer e vejo se há algum e-mail importante e abro o FACEBOOK.
Hoje uma amiga que amo de paixão tinha postado algo que caiu como 'uma luva' para a minha manhã:

Realmente é a realidade. Você ficar se auto-flagelando pelos 'erros' cometidos e 'perde seu tempo' com coisas que não pode mudar e pessoas que não te tratam bem e você fica fazendo um esforço sobre-humano para fazer com que 'elas mudem' (ninguém muda... á não ser que ela 'realmente QUEIRA). Ás vezes você fica 'olhando para o lado', cuidando dos outros e esquece de si mesma... e quando vê deixou escapar tantas chances de mudar a vida ou ao menos alguma coisa.
Estou PEREGRINANDO para chegar no ponto de admitir que eu FIZ e AINDA FAÇO algumas (muitas!) vezes isto.
Vivermos no cíclico é 'prático'... é 'confortável'... Você reclama mas na verdade não faz FORÇA PARA SAIR do circuito (parece circuito de autorama... você fica naquilo e necas de mudar a 'paisagem'). É cômodo!!!!!!! É tranquilo e por mais que incomode você CONHECE aquele "caminho", sabe onde deve reduzir a marcha, acelerar, trocar os pneus... mas você continua na mesma. Você segue o fluxo... Hoje lembrei da PISTA DE INDIANÁPOLIS, eu a visitei quando tinha 16 anos mas NUNCA me esqueci da sensação péssima de ficar rodando 'QUE NEM PERÚ PORRADO' (desculpem meus termos de hoje mas estou inspirada). Lembro das pessoas que estavam comigo achando o máximo aquele circuito oval. Eu não achei graça alguma. REPITO: Não quer dizer que seja fácil viver um circuito... é cansativo... tem horas que ele acaba até te hipnotizando porque nada muda.


E isto cansa... e como cansa...
Onde está aquela adolescente que eu fui?? Aquela que reclamava, saia batendo porta... e dizia: - Não estou satisfeita com o que tenho, vou arrumar um emprego melhor. E saia pela porta... e voltava de noite sem o emprego mas não desistia e saia no dia seguinte de novo com o mesmo pique, a mesma gana e voltava empregada e ganhando o triplo que ganhava antes.
Ou seja, eu tinha força para sair e melhorar a minha vida ao TRIPLO!!!! Como é que hoje eu pareço um "Bernardo-eremita" e fico na minha concha?? SEI que penso na Jubs e que a tenho que proteger e como ela só pode contar comigo eu não posso me 'arriscar' como antes... afinal antes ninguém dependia de mim e hoje meu bem mais precioso existe.
Meu sonho de vida sempre foi ser mãe e de uma menina. Não me perguntem como mas eu sabia que seria mãe de uma menina e por isto comecei uns 12 anos antes á fazer um enxoval para a filha que iria ter um dia. Realizei meu sonho.... e aí?? Aí que eu esqueci de 'sonhar' algo mais... Minha filha, sonho realizado... então estou eu no circuito de Indianápolis ou como eu brinco com o slogan da finada TOSTINES: É fresquinho porque vende mais, vende mais porque é fresquinho. Você não sabe onde começa ou onde termina, é um circuito fechado.
Eu entrei na casa dos 40 e me pergunto: fazer o que? Mudar como e onde?
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!! Faz terapia!!! Eu tentei,me fez bem até certo ponto e quando senti que estava melhor eu mesma quis me ajudar, afinal sempre fiz isto. Só que eu não sei que rumo tomar, é como se quisesse sair da pista e sair pelas ruas e conhecer caminhos novos... mas para ir para onde? E levando a minha pequena.... a responsabilidade é enorme de não errar!
Ah tá!! ERRAR É HUMANO!!!! Mas então não posso ser humana porque não posso errar, além de eu mesma me cobrar horrores, tenho o bonitão nos 'meus calcanhares' vendo o que faço e o que não faço e se utilizando da Justiça como arma de opressão.
Entro de novo na concha do Bernardo-eremita...
Então... viver não tendo lamentos e pesares não é tão difícil... difícil mesmo é mudar o rumo, ver quando há 'aquela' chance e agarra-la, ter CORAGEM para fazer isto e mudar do circuito oval para um estrada nova e desconhecida (usando um mapa pelo menos).

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Cada coisa que me acontece que tenho que rir... ou chorar...

Como já escrevi antes: ex-marido enche.
Meu Deus do céu.... Me pergunto como tem gente que tem coragem de casar de novo com o 'perigo' de descasar novamente e ter um segundo ex-marido... e terceiro, sabe-se lá quanta 'boa vontade' esta mulher tem para ter estes seres estranhos á sua volta.
Não sei se um cara por ser 'ex-marido' muda alguma coisa na sua personalidade ou evolui e com a próxima esposa ele poderá acertar e não errar na mesma coisa que errou com a anterior, afinal somos seres humanos e é MUITO DIFÍCIL mudarmos alguma característica AINDA MAIS os HOMENS que são criados pelas mães com certa idolatria. Realmente mãe de homem tem este problema.
Minha mãe é mãe de três filhos, eu a mais velha e dois lindinhos depois de mim. Eu AGUENTAVA o tranco mas eles... ah!!! tadinhos deles!!! rs... Se bem que neste ponto minha mãe sempre partiu do principio da educação igualitária: quando um fazia alguma besteria ela não queria saber quem tinha sido, ela nos enfileirava na parede e ela dava bordoadas nos três. Tá... educação antiga.. mas... igualitária!
Já no caso do bonitão a mãe dele só teve á ele como filhinho. E ele permanece filhinho da mamãe até hoje porque nem o próprio prato ele leva para pia, quanto mais lavar louça, á não ser que com a terceira esposa dele o tenha melhorado mas acredito ser pouco provável. Ela o trata como filhinho, pelo menos quando vem buscar ou trazer a Jubs é o que ela demonstra para os meus pais.... que o bonitão é o coitadinho-filhotinho-nenenzinho dela e do mundo.
Vamos lá ao real motivo que comecei escrevendo hoje. O bonitão nunca liga, não é?? Pois bem!!!!! Eu devo emanar ferormônios quando algo diferente ocorre, como o fato da Jubs ter mudado de escola.
Ele NUNCA LIGA, melhor LIGA UMA VEZ POR MÊS e quando é que ele ligou???? ACERTOU!!!!!! Ontem! E o que a Jubs soltou de PÉROLA??? Estou numa nova escola!! (óbvio! qualquer criança faria o mesmo: contar uma novidade).
Claro que o papo durou um tempão, ele devia estar com muita saudade da filha e ela idem. A Jubs desligou em menos de CINCO MINUTOS e falando: "Olha só... eu queria desligar, tá???" . E ele desligou, claro.
Quando não se tem assiduidade na convivência com crianças, estas ficam sem assunto e se o adulto que não sabe dar um jeitinho e se esforçar, este se dá mal.
Para conquistar alguém você tem que CATIVAR, já dizia a Raposa ao Pequeno Príncipe:

Só que para CATIVAR você tem que fazer por onde! Coisa que o bonitão acha que deve ser: VINDE Á MIM porque eu não vou á NINGUÉM!
Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem, claro que no dia seguinte eu acordo com um e-mail do bonitão LOTADO de perguntas e querendo respostas com o máximo de urgência (mereço!!!!!). O que ele não contava é que hoje ele tem muito menos 'poder' sobre mim.
Deixa eu me explicar: antes tudo que ele fazia, escrevia ou dizia causavam um impacto absurdo em mim. Eu ficava mal, mas MAL MESMO, de passar mal, ficar de cama, ter labirintite, tudo que puder imaginar.
Hoje me sinto muito mais forte. Ouvi ontem mesmo de uma moça que me conhece há um tempo e que sabe de alguns dos pepinos proporcionados pelo bonitão, ela me disse: "Nossa!!! Como você é forte!! Que fibra que você têm!". Engraçado isto... eu nunca havia me tocado que tinha realmente e muito menos que as pessoas podiam notar isto.
Então, eu na minha atual condição de ser menos emocional e mais racional com o bonitão, consegui escrever um e-mail respondendo tudo que ele perguntava sem me alongar nas explicações (como antes fazia com medo de deixar algo sem estar explicado), sem me emocionar, sem ele ter tudo o que 'exigia' (porque aquele maluco acha que manda em mim e em qualquer mulher do mundo).
Eu hoje estou e sou plena... óbvio que nem sempre consigo estar assim, tenho meus altos e baixos. Mas cada vez mais me lembro que não tenho medos como tinha antes.


terça-feira, 1 de outubro de 2013

Mudar ou não mudar de escola??? eis a questão!

A Jubs estudou por 3 anos numa escola só e quando saiu de lá ela foi para outra escola que me foi recomendada pela professora que a acompanhou por 2 anos e pela diretora da escola que ela estudou desde o início. Mas... se arrependimento matasse...
Bem... A Jubs aprendeu na escola á abraçar os amiguinho quando os cumprimentava com abraços e estes faziam o mesmo. Nesta escola que ela está, ela sai do carro falando feliz: Oi fulaninho... Este a olha como se ela fosse um E.T., não a cumprimenta nem sorri ao menos. Isto não ocorreu uma vez, nem duas... ocorreram trocentas vezes e a vejo entrar tristinha para a escola porque os seres estranhos que estudam com ela são assim: FRIOS!!!!
Então comecei eu uma nova peregrinação: outra escola.
Estou procurando com certa pressa porque já estão querendo que eu pague a matrícula. Então é agora ou eu terei que pagar duas matrículas.
Levei a Jubs nesta outra escola que também me foi recomendada e que sei que alguns amiguinhos da escola dela anterior, estão lá.
O meu amorzinho está lá na escola passando a manhã para ver se curte o ambiente. Depois eu verei as apostilas para ver se estas batem com o estudo que eu queria que tivesse se mantido da ex-escola. Ah!! esqueci de comentar algo MUITO complicado: a Jubs estava aprendendo no Jardim á fazer contas de subtração e soma de dezenas e até centenas, já fazia redação de 10 linhas e ditados. Nesta escola que a coloquei a vi 'involuir': ela voltou á pintar dezenas (quadradinhos), á escrever PALAVRAS que começassem com a letra tal e etc. A coordenadora disse que isto seria uma 'recordação' do ano anterior até o segundo semestre no máximo e que depois ela seguiria com evolução das matérias.
Passamos do terceiro bimestre e...........?...?...?...? NADA!! Palavras que começam com a letra, dezenas, quadradinhos.... e eles seguem uma apostila de uma ensino HIPER CONCEITUADO o que me faz não entender o porque da 'lerdeza' no ensino'.
Levei a Jubs agora cedo e ficamos na secretaria esperando a senhora que é a coordenadora. A moça da secretaria super simpática foi puxando assunto com a Jubs e perguntou:
- E o seu pai? Ele está gostando da idéia de você mudar de escola?
Antes que eu pudesse responder que o pai dela é ausente e tra lá lá, a Jubs me solta a PÉROLA:
- Meu pai?? Ah!! Ele é um mentiroso!! Ele é do tipo que promete as coisas e não cumpre.
Puuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuutz!! Queria me enfiar embaixo da mesa da mulher. A cara que ela fez de ponto de interrogação foi linda!
Expliquei, COM CALMA, que o pai dela é ausente e que não liga quase para ela (se bem que nas últimas duas semanas ele ligou por 3 vezes, duas estávamos fora de casa e na última ela já havia dormido).
A deixei na escola para passar o dia e estou saindo para busca-la. Vamos ver o que ela achou da escola... tomara que tenha gostado.
As aulas extras que tem lá são muito interessantes: informática e robótica para primeira série em diante. Aulas de reforço já incluídas na mensalidade. Vários pontos que na outra escola não havia.
Vamos ver...


Uhú!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ela adorou a escola!!!
Os comentários dela foram: Adorei, mamãe. Lá tem ditado, contas e muita gente legal. Não quero mais ficar na minha escola, quero ficar nesta de hoje.
Amei saber! Ela gostou de ter matéria mais puxada, de rever as coisas (contas e ditado) que estavam 'esquecidas' por esta escola deste ano. É para a escola nova que ela irá no ano que vem. Nem preciso mais pensar nisto.


sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Estou SEMPRE errada, mesmo quando acerto

Não sei se outras pessoas passam o que eu passo, bem.. também é muita pretensão minha acha que sou o único ser na Terra que passa por isto.
"Isto o que?" não é??? Vou me explicar:
Após a separação eu voltei para a casa dos meus pais e são poucas as vezes que penso em me mudar daqui. Poucas mesmo mas hoje é um destes dias e nem na TPM eu estou.
O MAIOR problema de morar novamente com seus pais, ao meu ver é: você, aos olhos deles, não cresceu! Ainda é somente aquela criança ou adolescente que erra e que eles acham que podem chamar a atenção como faziam antes.
Antes de que? Antes quando?? Oras! Antes de ser mãe, antes de você ter 40 anos. Pura e somente isto!
Tá e o que fazer? Não tenho a mínima idéia!
Minha mãe é uma ótima pessoa, uma super avó e FOI e É uma excelente mãe e eu me espelho no que ela foi para procurar ser para a Jubs. MAS aos olhos da minha mãe eu só acerto quando é interessante falar que acertei porque a maneira dela olhar é de reprovação pelo que fiz/faço, pensei/penso.
Fico num dilema com vontade de dizer á ela: Não me chame a atenção como se eu tivesse 10 anos!! Ainda mais na frente da Jubs que já está se achando igual á mim.
A Jubs tem feito isto: lida comigo como se tivéssemos a mesma idade e a mesma 'patente'. O que não é fato: ela tem 6 anos e eu 40, ela é a filha e eu a mãe.
SEMPRE me disse que quando fosse mãe não iria bater como eu apanhei. Acho que isto é o cúmulo da falta de argumentos. Mas argumentar com um ser de 6 anos é o que? Dar trela para discussão e se igualar á ela.
Fico sem saber como agir afinal... se bato, eu falho com o que disse que não iria fazer; se castigo, ela não liga e debocha dizendo que nem precisa sair do castigo porque está bom lá; se tiro algo dela, como bonecas e á fins, ela me olha e diz "Tenho outros, os que foram não me fazem falta não"; se paro de falar, ela fala com meus pais que agem como se não houvesse problema algum em casa e o meu castigo de mudez 'cai por água'. Então eu 'implodo'. Raras as vezes que eu 'EXPLODO' sou vista como: mal educada, grosseira, sem paciência etc etc etc...
Então as perguntas permanecem: O que fazer? Onde estou errando?? Como mudar a situação?
Na casa do pai, feliz ou não, tenho que aceitar que a Jubs fica 'pianinho', seja por medo, respeito ou o que for, quando volta está um amor, 'por favor, obrigada, posso pegar/fazer isto ou aquilo?' tudo nos 'conformes' e comigo é uma zona!
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!! Você ainda não pôs a Jubs no quarto dela que ELA NÃO QUER e que eu embromo porque também gosto, e muito, de estar com ela no meu quarto. Sim, é fato... mas isto faz com que ela me desrespeite?  SIM, FAZ!!!!
De noite, na hora de dormir, eu pergunto: Jubs, escovou os dentes? a resposta dela é: E você, já escovou?
- Jubs, tá na hora. Vamos dormir.
- E você? vai dormir agora?
- Jubs, chega de televisão. Amanhã você acorda cedo.
- E você? vai ver TV?
No fim das contas, odeio assumir, mas tenho 'culpa no cartório'. Eu achei que era melhor ser mãe/amiga e isto não é bom não. No fim de tudo ela me vê como amiga que também é mãe.
É uma inversão do que eu pretendia, ou nem tanto a inversão e sim... não ter chegado onde eu queria. Queria que ela me visse como mãe que é amiga mas que merece respeito.
Nestas horas eu enlouqueço e me sinto 'A QUE FALHOU', que ela fica melhor com o pai então que com toda a ausência dele, ele está certo e eu errada, visto o que eu 'colho' é diferente do que eu pretendia colher.
Eu com 6 anos... Eu nem respirava se me mandassem não respirar. Bastava olhar, levantar a sobrancelha que eu emudecia. Tá!!! Isto é a educação retrógrada á base de respeito via medo. Donde os pais eram vistos como seres habitantes do Olimpo com direito á nos jogarem 'raios e trovões' como Zeus!
A Jubs com 6 anos... Ela me olha e fecha a cara, 'pisa zangada' no chão, com as mãos cerradas e levanta a voz para mim. O que eu sou? Melhor: QUEM EU SOU??
Hoje cedo ela não queria acordar. Ontem de noite ela não queria dormir, o que é frequente mesmo a avisando do horário que ela acordaria. É um parto acorda-la. É cansativo e chato. A visto (calças e as meias) com ela dormindo e eu a levantando como se fosse uma boneca. Peço que acorde porque ela terá que entrar na escola em meia hora. Ou seja: nesta meia hora tem que: escovar dentes, fazer xixi, pentear os cabelos, tomar café, escovar dentes e sair dando tempo de chegar na Escola. devo parecer o Senna dirigindo para chegar na hora.
Quando a vejo, após tê-la chamado umas 5 vezes, está ela no chão, sentada com a calça da escola e reclamando que o tênis encolheu porque não entra mais no pé dela. Pouco provável visto ter sido comprado há umas duas ou três semanas e o comprei um ou dois números maior. E no dia anterior ela o usou sem reclamar de coisa alguma.
É o péssimo humor matinal é o que causa do desconforto das roupas... e eu tenho que ter um bom humor e MUITA paciência para não estourar e brigar. Só que é MUITO fácil falar, fazer são outros 500!
Vamos ver como meu serzinho volta da escola hoje...
Quanto ao bonitão... bem... este quase não dá mais o ar da graça. Ele ligou há uns dias atrás e a Jubs estava vendo um filminho no YOUTUBE que ela já põe e faz tudo sozinha... Bem, ele ligou na vez mensal dele falar com ela e ela falava: Hã.. Fala... Sei... Tá.... É...
Eu não me meti porque eu SEMPRE falo: "Jubs, fala direito com o seu pai" e quando ela está com ele, ele fomenta a situação dela falar mal ao telefone. Então ele que se vire agora.
Ele, em menos de 5 minutos, desistiu de falar com ela e arrumou uma desculpa para desligar. Desde então não ligou mais.





sexta-feira, 6 de setembro de 2013

I´M BACK!!!!!!!!

Caramba!!! Estou feliz hoje..., melhor, esta semana.
Estou voltando á ser a Drix de anos atrás: otimista, risonha e mais que tudo: ESPORTISTA.
Eu passei anos sem animo de andar, correr, fazer qualquer coisa para MIM. Tudo girava em torno da Jubs, afinal ela 'só tem á mim' (era o meu mantra).
Não que hoje em dia a situação tenha mudado, ela ainda só pode contar comigo visto o bonitão manter a postura de ligar para ela uma ou duas vezes por mês.
Mas eu tinha 'me perdido'... Não sabia mais quem eu era, a sensação era que precisava me 'reinventar' ou me 'reencontrar'... mas cadê o animo para isto?? Não existia. Eu vegetava, vivia em função do que tinha que fazer para Jubs, apertava o 'piloto automático' e lá ia eu.
Nossa, estou usando o 'pretérito' para me identificar. Não chega á tanto assim, óbvio. Não acordei e havia mudado mas me sinto tão... diferente....
Voltei á correr e nem lembrava do bem que isto me fazia sentir. Que delícia voltar dolorida e suada... risos... sério! É bom SIM!!!!! E a cabeça voa neste tempo que você está correndo, você 'desopila o fígado'.
Ontem eu li algo que traduziu como tenho me sentindo. Venho 'crescendo', me desapegando do que o bonitão possa vir á achar ou fazer quanto á mim. Estou voltando á me bastar, o que eu penso e sinto é o que me faz feliz. Não sou uma treslocada para fazer bobagens, nunca fui então não será agora que passarei á ser, óbvio!
Então... o que o BONITÃO achar, falar, escrever, mover de processo... primeiro: problema dele o que ele acha; segundo: quanto á justiça ele terá que provar o que diz de mim; terceiro: EU ME BASTO.
Sou inteira SOZINHA e por isto sou o apoio da Jubs. Ela sabe que pode contar comigo.
Eu tinha a sensação de precisar de uma escora. De ser menos porque eu não era CASADA, eu não era o que a sociedade exigia de mim.
O texto que li é este aqui:

Sobre estar sozinho…

Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o inicio deste milênio. As relações afetivas também estão passando por profundas transformações e revolucionando o conceito de amor.

O que se busca hoje é uma relação compatível com os tempos modernos, na qual exista individualidade, respeito, alegria e prazer de estar junto, não mais uma relação de dependência, em que um responsabiliza o outro pelo seu bem-estar.

A ideia de uma pessoa ser o remédio para nossa felicidade, que nasceu com o romantismo, está fadada a desaparecer neste início de século.

O amor romântico parte da premissa de que somos uma fração e precisamos encontrar nossa outra metade para nos sentirmos completos.

Muitas vezes ocorre até um processo de despersonalização que, historicamente, tem atingido mais a mulher. Ela abandona suas características para se amalgamar ao projeto masculino.

A teoria da ligação entre opostos também vem dessa raiz: o outro tem de saber fazer o que eu não sei. Se sou manso, ele deve ser agressivo e assim por diante. Uma ideia prática de sobrevivência e pouco romântica por sinal.

A palavra de ordem deste século é parceria. Estamos trocando o amor de necessidade pelo amor de desejo.

Eu gosto e desejo a companhia, mas não preciso, o que é muito diferente.

Com o avanço tecnológico, que exige mais tempo individual, as pessoas estão perdendo o pavor de ficar sozinhas e aprendendo a conviver melhor consigo mesmas.

Elas estão começando a perceber que se sentem fração, mas são inteiras. O outro, com o qual se estabelece um elo, também se sente uma fração. Não é príncipe ou salvador de coisa nenhuma. É apenas um companheiro de viagem.

O homem é um animal que vai mudando o mundo e depois tem de ir se reciclando para se adaptar ao mundo que fabricou.

Estamos entrando na era da individualidade, o que não tem nada a ver com egoísmo.

O egoísta não tem energia própria; ele se alimenta da energia que vem do outro, seja ela financeira ou moral.

A nova forma de amor, ou mais amor, tem nova feição e significado.

Visa a aproximação de dois inteiros e não a união de duas metades. E ela só é possível para aqueles que conseguirem trabalhar sua individualidade.

Quanto mais o indivíduo for competente para viver sozinho, mais preparado estará para uma boa relação afetiva.

A solidão é boa, ficar sozinho não é vergonhoso. Ao contrário, dá dignidade à pessoa.

As boas relações afetivas são ótimas, são muito parecidas com o ficar sozinho, ninguém exige nada de ninguém e ambos crescem.

Relações de dominação e de concessões exageradas são coisas do século passado. Cada cérebro é único. Nosso modo de pensar e agir não serve de referência para avaliar ninguém.

Muitas vezes, pensamos que o outro é nossa alma gêmea e, na verdade, o que fizemos foi inventá-lo ao nosso gosto.

Todas as pessoas deveriam ficar sozinhas de vez em quando para estabelecer um diálogo interno e descobrir sua força pessoal.

Na solidão, o indivíduo entende que a harmonia e a paz de espírito só podem ser encontradas dentro dele mesmo e não a partir do outro.

Ao perceber isso, ele se torna menos crítico e mais compreensivo quanto às diferenças, respeitando a maneira de ser de cada um.

O amor de duas pessoas inteiras é bem mais saudável. Nesse tipo de ligação, há o aconchego, o prazer da companhia e o respeito pelo ser amado.

Nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.

Flávio Gikovate


O autor traduziu TUDO que venho sentindo.
Fomos criadas para achar que sozinhas não conseguimos obter sucesso e se o obtemos somos mal resolvidas sexualmente ou ainda, somos mal vistas como malucas que não vêem a REALIDADE (a realidade DA SOCIEDADE).
Estar casada e ter alguém ao lado são coisas completamente diferentes.
Casada para mostrar para os outros que é capaz de TER UMA FAMÍLIA DORIANA é como fomos criadas e o não tê-la nos dava a sensação de frustração e incompetência total. Vínhamos criando nossos filhos com a sensação de faltar um pedaço, de sermos menos que as mulheres que tem a família completa etc etc... Coisas que cansei de ouvir. Ser BANIDA  de um grupo de amigas casadas porque elas se sentiam ameaçadas por mim por estar solteira e poder avançar nos seus maridos e pelos maridos porque podia 'levar suas esposas' para uma mau caminho.
Fiquei literalmente sozinha, visto ter poucas amigas em Sampa e a maioria destas é casada.
Então virei um 'CARAMUJO', dentro da minha concha. Engordei, deixei de me cuidar, de me olhar no espelho... Não ligava para mim, me sentia FRACASSADA.
Mas que FRACASSO eu tive? Onde ele existe?? Na minha cabeça! A Jubs é educada, bem criada e feliz, ou seja: o que eu achava que precisava de família para fazer eu FIZ SOZINHA.
Então onde está a FRACASSADA,  a FRACA, a NÃO MERECEDORA DE RECONHECIMENTO ALGUM?
Bem... AQUI ela não está!
Não VOU  me permitir 'ESCORREGAR' e deixar a minha 'cabeça' me cobrar desta forma. A vida já me cobra o bastante.
Superação, ISTO EXISTE!!! Você TEM que 'correr atrás' e ter MUITA boa vontade porque vão existir 'escorregões', pessoas te desestimulando e outras coisas mais... MAS quando você perceber que MESMO SOZINHA VOCÊ É INTEIRA.... NINGUÉM TE SEGURA MAIS!!!

Boa sorte para nós todas e que os escorregões sejam temporários e BEM ESPORÁDICOS.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Vi e estou postando

Vi agora há pouco...
Achei lindo, chorei que me acabei!

Como BRIGAR com a filha?

Como todos já sabem, a Jubs tem meros 6 aninhos e para mim ainda É o meu bebê grande. Tá... até aí, tudo bem...
O PROBLEMA é que este SERZINHO sabe responder como eu quando tinha 12, 13 ou 14 anos!!!!! Caramba!!!!!!
Poxa, quando eu era pequena, bastava uma 'levantada de sobrancelha' ou uma chamada do meu nome num tom um 'pouco' mais firme que eu 'virava um cordeirinho'.
Bem... educação dos anos 70, não é? E como é este raio desta educação de agora?
Dou uma de Super Nanny e a ponho de castigo os 6 minutos (1 minuto para cada ano que ela tiver). Dá certo???????? Que nada!!!!! Ela conversa com os dedos das mãos como se fossem bonecas... Ok... A tiro depois dos 6 minutos e digo para ela pedir desculpas (tudo como é 'ensinado' no programa) senão volta para o castigo... e a resposta que ouço é: Prefiro ficar lá mesmo, sabe? Assim eu fico brincando!
Ou seja: NÃO FUNCIONA O CASTIGO DOS TAIS MINUTOS, pelo menos não com ela.
Dizer que vai tirar isto ou aquilo dela, idem... ela nem liga, se bobear ela senta ao meu lado e separa mais coisas para eu tirar.
A vontade da 'palmada' fica latente mas eu me seguro, afinal sempre prometi á mim mesma que iria educar minha filha de forma diferente que eu tinha sido.
O que funciona??? Conversar?? Piada, né? Isto não funciona mesmo!
Pedir??? Hum... não funciona como deve ser, afinal 'soa' como se ela estivesse fazendo um favor e o que ela tem que fazer no final das contas é obedecer. Não digo 'cegamente' como fui educada, tenho uma "paciência de Jó" para explicar os 'porquês' disto e daquilo.
O que funciona é não falar com ela... Dar um gelo. Mas á droga disto é que 'eu' quem fico péssima!! Ficar sem falar com ela dói em mim... Tá... sei que é PARA O BEM DELA FUTURAMENTE porque ela será uma pessoa educada e tal... mas e eu?? Eu fico péssima.
Fico pensando as 'abobrinhas': Poxa, ela já tem o pai ausente... Se eu virar a 'tirana', ela vai ter á quem?
Noutro dia eu realmente não aguentei... Estávamos numa loja comprando um travesseiro novo para mim, que achava que meu torcicolo era por este motivo: travesseiro ruim. Bem... estávamos eu, minha mãe e a Jubs na loja cheeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeia de 'cacarecos' espalhados á cada pedacinho, entenda, não era desarrumada não mas era uma loja com muitas coisas expostas. Tá, até aí sem problemas.
Eis que a Jubs resolve 'incorporar' a Mulher-Maravilha e ficou rodando como a Lynda Carter, rodando sem parar e tome de derrubar as coisas. Ela fez a primeira e eu reclamei e dei 'aquela olhada básica' e arrumei o que havia caído (ainda bem que não era algo que quebrasse), fez a segunda, a terceira, quando fez a quarta vez eu fiz algo que NUNCA havia feito (na hora me lembrei da minha avó comigo e com meus irmãos) a puxei a orelha dela. Óóóóóóóóbvio que não a 'arranquei' do chão como faziam antigamente mas puxei sim (fiquei péssima depois), ela chorando copiosamente e as atendentes da loja me olhando feio. Ela ficou dizendo que a orelha havia 'descolado' da cabeça para que a minha mãe conferisse se esta ainda estava no lugar.
Caramba... Se bate é errado e se não bate é errado, não digo espancar nem 'descer' o braço... mas um tapa na bunda é errado? 
Não sei se é errado não.... Conversei com uma mãe de 3 crianças e ela disse que os educava como ela havia sido educada, se fizessem algo errado eles apanhavam palmadas.
Tá... mas eu prometi á mim mesma não bater... O sangue ferve porque o serzinho responde (e responde BEM, viu?) e eu fico: Não bater!! Não bater!!!... E tome de respostas!!!
Acho que até hoje dei umas 4 ou 5 palmadas na bunda e este puxão de orelhas agora. Fica péssima, tenho que sair de perto porque acabo chorando (bem longe dela, claro) porque eu FALHEI em não ter feito isto ou aquilo da forma que havia jurado á mim mesma que faria.
Me sinto fracassar... O pai quando a chama atenção ele BERRA, mas BERRA MESMO, dele se gabar depois que ela 'quase fez xixi nas calças quando ele berrou'. Acho isto horrível. A palmada também é horrível... o castigo não funciona.
O gelo funciona mas nem sempre posso utiliza-lo como no caso do shopping. Então o que fazer?
Ouvi uma menina tempos atrás, aos berros com a mãe dizendo: Vou chamar a polícia, você vai presa porque me bateu! E a mãe não se fez de rogada: Então chame!! mas se lembre, eu vou presa e você vai para um abrigo e lá vai ser bem pior que em casa.
Quem é o certo ou o errado? Como é o certo???

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Dor por ENGOLIR SAPOS???

Bem... SEI QUE ESTOU HÁ TEMPOS SEM ESCREVER... mas é que eu demoro horrores para "digerir" as coisas que me acontecem...
Bem... Tive as férias da Jubs na casa do bonitão. A mandei com um celular, sei que devem estar pensando: um serzinho de 6 anos com celular?? é! Porque assim ela poderia ficar 'sossegada' por poder me ligar na hora que quisesse sem ter que pedir ao pai ou á quem fosse.
A única coisa que pedi foi que recarregassem o celular e isto foi feito sim MAS (tinha que ter um 'mas', não é?) o celular ficava guardado embaixo do travesseiro (interessante o local que escolheram para guardar um 'aparelho sonoro'...). E a coitada da Jubs teve que passar á fingir que não estava falando comigo no celular para não tomar bronca, não que eu tenha pedido, óbvio!!, mas ela mesma 'descobriu' que seria melhor para ela MENTIR para todos na casa do pai. Ou seja: tudo que eu ensinei ao contrário!
Por mais que eu pedisse á ela não omitir que estava falando comigo, ela 'sentia' que era melhor para ela (e talvez para mim) omitir para eles (bonitão, bonitona e mãe do bonitão).
Eu tinha combinado com a Jubs que iriamos nos falar 3 vezes ao dia, indiferente do dia que fosse: de manhã, de tarde e de noite. Isto a acalmou para, inclusive, viajar com o pai porque ela não queria de forma alguma.
Claaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaro que no e-mail pós-estadia veio uma reclamação dizendo que "as ligações foram excessivas". Mereço, não é? Se o bonitão não liga para a filha ou acha NORMAL ligar para ela uma ou duas vezes por mês o problema é DELE. EU acho normal falar trocentas vezes com a filha num dia, se isto é normal estando na mesma cidade, imagine estando em estados diferentes????
Ela ficou uns quase 20 dias na casa do pai (foram 17, se não me engano). A carinha dela de estar ALIVIADA por ter vindo embora... dava pena de vê-la dizendo: Mãe, eu me comportei mas já não aguentava mais ficar lá! Eles fizeram um moooooonte de regras para TUDO. Eu tinha regras desde que acordava até dormir.
Eles fizeram regras para tudo, como ela se vestir sozinha e arrumar a cama como até para respeitar a bonitona acima de tudo. E ainda tiveram a cara de pau de assinar como 'Super Nanny'...
O lance que coloquei como título é porque tenho tido nas últimas semana torcicolo, dor no pescoço após ter dormido... acordo morrendo de dor. E descobri (só hoje) o motivo: eu sonho com o julgamento e fico tensa dormindo. Acordo como se tivesse corrido uma maratona.
O julgamento não está marcado, preferia que fosse logo mas a advogada do bonitão está querendo ganhar tempo, realmente não entendo o motivo, será que ela quer me ver desestabilizada para poder usar isto contra mim??? dããããã!! Óbvio!!! Só que eu estou longe de ser trouxa e cair nesta. Já 'engoli MUITOS SAPOS' e não foram 'pererecas nem girinos', já engoli SAPOS-BOIS mesmo... mais um menos um... que se dane! Engulo até um 'DINOSSAURO' se for preciso!
Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaas o corpo demonstra o 'cansaço psicológico'...
E ainda ficam reclamando que eu TENHO  que arrumar alguém! Coitado do homem que 'arrumar', sou capaz de transferir os sentimentos negativos para o pobre individuo e acabo esganando o cara pensando no bonitão... risos... Ai que vontade de esganar certos seres!!! Mas tenho que fazer meditação... porque estou longe de 'elevar meu espirito' (como raios eu vou conseguir fazer isto?????).
Penso em como ele é cara de pau em achar que não sou boa mãe se a Jubs é uma criança feliz e esta zona que ele está 'dando de presente' para ela que está acabando com o psicológico dela. Nada me tira da cabeça que a bonitona está por trás disto junto com ele, acredito que ela não possa ter filhos e por isto quer a minha. Ela deve ser maluca, sei lá...
E eu que fico na 'digestão' de SAPOS para minimiza-los para a Jubs... e tome de dor no pescoço...

terça-feira, 2 de julho de 2013

Conclusões.... Tardias mas certas!

A CONCLUSÃO QUE EU CHEGUEI É: MEU EX-MARIDO É MALUCO! Só pode ser!
A Jubs foi com ele há 4 dias e hoje ela me ligou perguntando se ainda falta muito para ela voltar para casa (ou seja, para cá)... Me deu uma pena dela...  Ela está na casa dele com a avó (ele 'tolera' a mãe por perto porque é uma maneira de não pagar babá, porque é a Jubs ir embora que ele 'despacha' a coroa também).
A coroa é uma BRUXA mas trata bem a Jubs... apesar de eu não esquecer o que ela disse anos atrás: Você devia ter abortado esta criança. Isto foi dito com a criança citada no colo dela.
Só a aceito porque ela trata bem a Jubs and only this!!!
Eu descobri agora realmente qual é o problema do bonitão: não é a JUBS, sou EU!!!!
Ele não aceita que eu não peça a 'autorização' dele e viva sem pedir permissão á ele. Ele quer se manter SOBERANO como reizinho mandão. A esposa dele SABE disto e força ainda mais a situação.
Acho engraçado as pessoas me dizerem para eu ficar calma.... Calma como?????
Eu não quero premio da loto não, quero é poder dar UM MURRO NA CARA DO BONITÃO e destruir os dentes dele. JURO!! Quero descer a mão nele...
A última comunicação que eu tive dele... as cobranças dele não são quanto as coisas da nossa filha e sim quanto á minha vida. Ele é MALUCO!!!!
Ele me chifrou, ele 'esculhambou' com a minha imagem perante a família dele.... depois disto eu ia pedir para ficarmos juntos? Mas de jeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeito nenhum! Ele não aceita isto até hoje... e a doida da mulher dele SABE disto. E tudo isto com a Jubs lá... a presença dela é a minha personificação. Morro de medo da maluca da mulher dele surtar e resolver enlouquecer com ela para 'descontar' a raiva que tem de mim.
As coisas que ele reclamou desta última vez foram hilárias... Uma delas foi que as unhas dela não estavam com o esmalte direito. Na boa, ela tem 6 anos!!!!! Esmalte??? Se ele não está satisfeito com a forma que ele está, ele que pague a manicure para ela e ponto final.
A MERDA é que a JUSTIÇA não 'olha' estas coisas e obriga á Jubs á ter contato com ele mesmo ela não querendo que este seja muito longo. E eu, por minha vez, tenho que ter um contato que seja com ele.
O lado BOM (se é que este existe) é que eu não respondo e nem dou satisfação. A loucura dele é para ver se eu realmente surto e ele poderá, assim, afirmar que eu sou tudo que ele diz que sou: maluca, surtada, sem noção... Então eu nem respondo nada dele, seja e-mail ou telefonema. Não falo com ele da forma que eu gostaria, sou educada e se o contato for via e-mail eu não respondo.
JURO!! Nunca pensei que fosse ter uma relação como esta na minha vida.
E ainda tem gente que acha que eu TENHO que ter alguém na minha vida!!! Mas neeeeeeeeeeeeeeem ferrando!!!! Vai que eu atraio outro doido?